Destaque

O tempo das coisas

Pense no tempo…

Pense que os planos que você faz para a sua vida se resumem em uma gestação.

Agora, lembre-se que existem muitos tempos de gestação. Uns 6 cachorrinhos podem nascer em 3 meses, mas um bebê elefante levam-se 12 meses para ver a luz do sol.

Assim também são os nossos planos. Uma ideia, é uma semente que está para germina dentro do ventre.

Ela só crescerá se você a nutrir, diariamente.

Uma mãe, aprende a amar seu bebe muito antes dele nascer. Ela o sente, acaricia, conversa, poe musica. Ela se doa, por completo aquele serzinho ao qual está usando de seu corpo para vir ao mundo.

Os planos e projetos da nossa vida também seguem este processo. Eles precisam da nossa atenção e cuidado. Todos viemos com uma missão a este mundo, descubra e aceite a sua e nutra-a para que ele possa crescer.

Também á os pequenos planos, aqueles que precisam ser para ontem, estes pode ser dizer que é uma gestação menor, ou uma semente de feijão. Não demora, e já está lá dando frutos.

Mas para um bebe elefante nascer, este precisa de mais tempo, mais nutriente e atenção. E precisamos saber a quais projetos estamos dando a devida atenção e alimentação.

Será que estamos vendo e aceitando o tempo de cada coisa? Acredito que não. A ansiedade para ter uma vida comparado a do vizinho é sempre maior que a de ver os seus passos e aceitar que o tamanho dos pés são diferentes.

Todos andamos a passos conforme o tamanho dos nossos pés. E da mesma forma temos nossas pedras e buracos no caminho. Não é por que você não viu o trajeto do outro que ele não tenha seus próprios desafios.

Enfim, conceba e geste seus planos. Aprenda a ama-los, mesmo com medo. Encare. Erre. A mãe nasce com um filho. E se você não se sente pronta, tudo bem. Os seus planos e projetos irão te ensinar, assim como um filho ensina uma mãe a ser mãe.

Beijos de Luz!!

Fran Monteiro

A Perfeição não existe!

Aceite que a vida é o que é!

Ela não virá até você com um buque e confetes para te presentear. Ela se apresenta com toda a sua força nos momentos que menos esperamos.

Quando planejamos algo as expectativas preenchem a nossa mente. Tudo parece perfeito e não damos margens para os erros. Porém, algo de repente acontece e todos os seus planos vão por água abaixo.

E como reagimos nessas horas? Nos entregamos a dor, nos sentimos incompetentes, frustrados e chegamos a conclusão que não importa o que façamos, os resultados sempre serão os mesmos. E realmente, enquanto pensarmos da mesma forma, sermos rígidos, deixar que o orgulho nos comande, podemos mudar os planos mas os resultados, sim, serão os mesmos.

Não adianta mudar o local de chegada! Todos nos temos um lugar para chegar. Lembra a terra é redonda?! Mesmo que mudemos a nossa rota, que atrase ou pegue atalho, no final o resultado é o mesmo a diferença é o como estamos indo pelo trajeto.

Há pedras, grandes, pequenas, pontiagudas, escorregadias… Não se iluda. Ou você está preparado e com sabedoria para optar pelo caminho menos doloroso, ou você perderá mais sangue no caminho.

Você escolhe como quer fazer a sua rota. Não compare os passos que você precisa dar com os passos de ninguém. “Seus pés são únicos”.

Fran Monteiro

Te conecta?

Quando me vejo fora do curso, fora do que sinto ser a minha missão de vida, esqueço completamente dos recursos que possuo para me auto resgatar.

E porque preferimos nos entregar a nuvem cinza que paira sobre nós?
Acredito que o primeiro ponto é o quanto nos afastamos de nos mesmos ao ponto de sermos nossos próprios amigos no momento em que mais precisamos.

Se você é companheiro de seus amigos, sabe que quando os vê precisando de ajuda, você está lá para dar-lhes a mão. Você se importa, se preocupa e faz o que for possível (até impossível) por alguém que é teu querido.

Mas, por que não fazer o mesmo por você mesmo? Que crença é essa que se transmite com o vento onde todos podem ser acolhedores do próximo, mas nunca de si mesmo?

Quando nos percebemos, e valorizamos quem somos, se auto acolhendo, praticando o auto perdão, a vida fica mais leve. Tudo a nossa volta fica mais leve. No final do dia você sabe que você estará lá por você. Isso é amor próprio, e não egoismo. Só podemos dar ao outro o que fazemos para com a gente antes. O que me leva a te pergunta, o que você realmente tem dado?

Com o tempo eu descobri quatro coisas me resgatam. Me reconectam comigo, com a alegria e com o amor. Dançar – apenas sentir e a musica e deixar o corpo seguir, sem passos certos, apenas dançar; escrever – por isso o blog, aqui é onde deixo fluir os meus pensamentos, desabafos, me ajuda a cair a ficha ‘sabe?’; e desenhar – apesar de estar no mundo da criação, eu adoro desenhar flores, casinhas com jardins, me acalma e posso pensar direito; ouvir musicas – mas não qualquer musica, gosto do estilo indie e folk, elas tem um ‘KÊ’ de pureza que ainda não foi absorvida pelas grandes industrias.

Descubra onde está a sua tomada. Busque dentro de si. Se observe!
Ninguém mais poderá fazer isso por você.

Beijos de Luz!

Fran Monteiro